InícioPortalFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 [PhiLiz Review] HIM - And Love Said No Greatest Hits 1997-2004

Ir em baixo 
AutorMensagem
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: [PhiLiz Review] HIM - And Love Said No Greatest Hits 1997-2004   Seg Out 06, 2008 2:08 pm

HIM - And Love Said No Greatest Hits 1997-2004


Introdução
Lançado em Maio de 2004, este Greatest Hits vem mostrar algum do melhor material de HIM nos seus (na altura quase) 10 anos de carreira. Além do CD, houve uma edição especial com um DVD e que continha 6 faixas-vídeo ao vivo.

Apesar de ter alguns dos melhores temas dos rapazes da Finlândia, há falhas enormes como a omissão de Bury Me Deep Inside Your Heart ou Soul On Fire, mas no geral é uma colectânea bem engraçada.



Alinhamento
1. And Love Said No
2. Join Me
3. Buried Alive by Love
4. Heartache Every Moment
5. Solitary Man
6. Right Here in My Arms
7. Funeral of Hearts
8. In Joy and Sorrow
9. Your Sweet 666
10. Gone With the Sin
11. Wicked Game
12. Sacrament
13. Close to the Flame
14. It's All Tears (Drown in This Love) [ALSN UK Version]
15. Poison Girl
16. Pretending
17. When Love and Death Embrace

Ano 2004

Editora BMG International

Faixa Favorita #9 - Your Sweet 666

Género Gothic Rock

País Finlândia

Banda
Emerson Burton (Janne Puurtinen) - Teclados
Gas Lipstick (Mika Karppinen) - Bateria
Linde (Mikko Lindström) - Guitarra
Migé Amour (Mikke Paananen) - Baixo
Ville Valo - Voz



Review
Indo directamente para o que interessa, a música. Um dos dois inéditos dos HIM nesta colectânea é And Love Said No. Um tema ao jeito do álbum Love Metal, extremamente melódico e com um refrão poderoso. Muito agradável e merecedor de estar neste Greatest Hits.

A segunda faixa é possivelmente a música mais conhecida dos HIM: Join Me, quem não ouviu já este tema? A introdução de teclados é excelente e o que dizer da letra? Fala sobre a rendição do amor à morte acima de qualquer coisa, a voz de Valo transmite por completo o sentimento da letra, de um chamamento desesperado por um amor deixado "do outro lado". O ambiente é incrivelmente bem recriado pelos teclados de Burton transmitindo ainda mais uma áurea "gótica" ao tema.

O "incendiário" Buried Alive By Love dá seguimento aos melhores momentos de HIM. Vinda do Love Metal esta música tem no seu início um riff de guitarra tipicamente Heavy Metal executados por Linde, também possui uma bateria bem agressiva e que vai acompanhar o álbum quase todo. O baixo é sólido e presente, enquanto que os teclados estão presentes, mas não têm uma importância tão grande como na maioria dos temas de HIM. Há uma parte mais calma e típica dos anteriores, mas no refrão volta a ganhar velocidade e batida mais forte. A voz é bem mais rouca e arranhada que o habitual, mas ganha um tom mais forte que não deixa de ser surpreendentemente agradável. A letra tem momentos de grande nível (nomeadamente no refrão) e relata a historia de um amante cego, que compara o não ser amado quando se ama, a estar morto e daí o título, Buried Alive By Love.

Heartache Every Moment, é talvez a música que mais me atrai no álbum onde originalmente está, Deep Shadows & Brillant Highlights. Apesar de termos os apontamentos Pop e o teclado a assumir (com passagens muito boas, nomeadamente a introdução, que é bastante interessante), um papel de destaque, esta faixa é das mais populares em concertos de HIM. A guitarra de Linde está soberba, apesar de num registo mais leve. Mas o que faz a diferença é a letra...muito boa. Ville Valo inspirou-se no seu filme preferido The Nightmare Before Christmas e logo nos primeiros versos "From lashes to ashes And from lust to dust" e constrói uma letra soberba à volta da imprevisibilidade do amor. De facto alguns versos aqui são do melhor que os HIM têm nos seus álbuns.

Solitary Men uma cover do falecido Johnny Cash, serviu de apresentação a esta compilação. Com um ritmo e melodia rápidos, é a continuação óbvia da sonoridade mais Rock que estes senhores vindos do frio adoptaram nos seus álbuns mais recentes. Mais uma excelente cover, a juntar às muitas de qualidade que os HIM já possuem.

De seguida a música mais Pop/Rock de toda a carreira dos HIM. Classifico-a assim, devido à letra porque a sonoridade é até relativamente "heavy" (e ao vivo torna-se ainda mais). A voz de Valo é mais aguda e o riff é bastante bem conseguido. A letra é um tema "vulgar" de amor sobre a inevitabilidade de duas pessoas irem acabar por ficar juntas. Apesar das tendências Pop é mais uma canção que fez grande sucesso junto dos fãs.

Funeral Of Hearts, o 1º single de Love Metal tem uma guitarra acústica no início, teclados de Emerson Burton a fazerem um excelente trabalho e um refrão de "veludo" com a voz de Valo a aproximar-se da fase Razorblade Romance, com um tom mais Pop. Há uma excelente parte melódica que antecede uma progressão que culmina no momento mais pesado da faixa e onde são notórias as influências mais pesadas da banda. A letra é representativa das temáticas amor/morte que a banda tanto procura, e é apesar de simples, muito apelativa.

Segue-se a balada In Joy And Sorrow onde a guitarra de Linde assume especial papel (finalmente!) e toda a música tem um riff apelativo. Mais uma vez é a letra que se destaca, ao falar dos resultados contrastantes do amor. É uma balada interessante, e apesar de muito tocada nos concertos, não é das melhores de HIM (na minha mais pessoal opinião).

Your Sweet 666, do genial 1º álbum, Greatest Lovesongs Vol. 666 é uma autêntica bomba, que serve muitas vezes para mostrar porque os HIM podem ser vistos como dentro da cena do Metal, com guitarras poderosas e ritmo frenético: um autêntico hino à banda. É a minha música preferida de HIM e é de certa forma histórica, já que o álbum de onde saiu desta música foi um dos mais importantes marcos da música Escandinava da década de 90.

Gone With The Sin, com uma letra fantástica (e não falo do refrão), a voz de Valo é estupenda. A música começa com uma voz grave e todo o ambiente que se gera em seguida é totalmente "gótico". Há duas versões desta música que eu adoro particularmente: uma versão com orquestra onde são utilizados os violinos na parte instrumental e a versão ao vivo no Rock Am Ring, onde Linde inicia a música com um solo divinal.

Segue-se Wicked Game original de Chris Isaak que é bastante superior ao original (na minha modesta opinião). Mais uma vez as guitarras e o baixo são fortes e dão à "cover" uma dinâmica diferente para melhor do original. O 1º grande sucesso de HIM, surgido do 1º trabalho (em 1997).

The Sacrement, segundo Ville Valo, foi escrita num dia em que ele se encontrava doente, e daí ter uma toada depressiva bastante acentuada. O início de piano, é dos melhores que já ouvi e esse mesmo piano acompanha quase toda a faixa e é notório sobretudo no refrão. Temos ainda alguns bons riffs de guitarra, e a voz mais melódica de todo o percurso de HIM. Sem dúvida, mais um grande momento da banda.

Close To The Flame, era suposto ser um Bury Me Deep Inside Your Heart (a melhor balada de HIM) parte 2...mas não é. Não é porque para já, tem uma boa letra, mas não é brilhante (e é curta demais) e sobretudo porque em vez de intensidade de baixo e guitarra temos um domínio de teclados... Não é uma má balada, longe disso, mas não tem aquela intensidade que as baladas de HIM possuem.

A versão de It's All Tears (Drown In This Love) é mais pesada do que a originalmente editada no álbum inicial de HIM. Tem das passagens mais pesadas dos finlandeses, e vale a pena para que não conhece esta faceta mais pesada.

Poison Girl, mais uma faixa bastante popular. Aqui a voz de Valo é mais aguda (embora não em demasia). A letra é simples mas muito bem conseguida transmitido um sentimento de "amor envenenado" ou impossível. Todo o ambiente é fantástico, quer pelos rasgos feitos pela guitarra, quer pelas excelentes linhas de baixo.

Pretending outras das faixas mais conhecias dos HIM. É tipicamente uma canção Pop/Rock e é das poucas de HIM que não me diz quase nada...talvez o solo de guitarra lá no meio, mas pouco mais...é mesmo muito comercial...demasiado. Penso que deveria ter sido substituida neste álbum de melhores momentos, por algo mais pesado, como Soul On Fire.

When Love And Death Embrance é uma "explicação" da temática da banda sobre o envolvimento destes dois sentimentos. Sendo uma balada lindíssima, não deixa de ter o ambiente pesado que os HIM praticavam no 1º álbum. A fechar em grande esta colectânea.

Conclusão
Exceptuando as falhas já referidas, é um "greatest hits" bastante sóbrio e que contém (quase) todo do grande material com que Valo & Ca. nos têm brindado ao longo de uma década.

PhiLiz
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
[PhiLiz Review] HIM - And Love Said No Greatest Hits 1997-2004
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Nazareth
» Love.Might.Kill
» Epiphone EB-3 SG - Mini Review
» Review Ledur Felino Bass 04 Cordas Custom
» Beautiful Love e Nardis(solos de Bill Evans)

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Discografia-
Ir para: